OPINIÃO

Saulo Roberto Saulo Roberto

Eterno Chespirito

Imprimir
A+   A-

Por que até hoje é sucesso? Começo esse artigo com uma simples pergunta e que todos vão ter a mesma resposta: Fez sucesso por ser um humor simples. Tá, tudo bem, mas só isso? Um humor simples sem maldade quebraria a barreira espaço-tempo apenas por ser simples? Sim, mas não é somente isso.  

O Roberto Bolaños criador de imortais personagens como Chaves e Chapolin fez muito mais que humor, ele caracterizou a nossa vida como ela é. Poxa, mas vocês vão dizer “isso foi feito nos anos 70!”, mas transmite a nossa realidade, independente se foi gravado no século 21 ou naquela época.

Tudo foi pensado para ser atemporal. As gravações do Chaves, como já disse, começaram nos anos 70, mas se repararem as roupas não são exatamente o que era vestido na época. O figurino, por exemplo, do Seu Madruga era uma calça jeans e uma camisa careca. Ou seja, foram abandonados os rótulos daquela geração como as calças boca de sino e cabelos extravagantes, por algo que ele sabia que não mudaria tão fácil e que poderia resistir por muitos anos.  
Os personagens do Roberto Bolaños simplesmente retratam as relações humanas de uma maneira simples e bem humorada. Não existia bulling, atualmente vilão para as crianças. Um chamava o outro de gordo, de bochechudo e estava tudo certo, continuava o amor e a brincadeira.  

A genialidade era tanta que numa época extremamente machista, em que as mulheres lutavam por direitos iguais aos homens, ele mostrava que o sexo frágil dos episódios eram os homens como, por exemplo, quando o Seu Madruga apanhava da Dona Florinda e a Chiquinha, por ser mais inteligente, fazia o que queira com os meninos da vila. Sem falar ainda na velha questão do “muitos com pouco e poucos com muito”, a constante guerra do riquísssimo Senhor Barriga contra o paupérrimo Seu Madruga. Quer mais atualidade que isso?  

Em diversos personagens o que para mim é o mais interessante é o Chapolin, um herói totalmente atípico e fora dos padrões, que deixava as crianças loucas por ser um herói em quem, de certo modo, elas poderiam ser. Você não conseguiria ser o Homem de Ferro ou o Superman, mas o Chapolin era apenas uma marreta de plástico e uma roupa vermelha que qualquer criança se sentiria o máximo. 

O melhor dos personagens são os bordões, como “tinha que ser o Chaves mesmo!” “Não contavam com minha astúcia” “Foi sem querer querendo”, garanto que até hoje todo mundo diz isso. Enfim, o sucesso se resume a isso, utilizando a simplicidade e ao mesmo tempo por ser complexo em pensar em todos os detalhes, desde uma simples marreta de plástico ou as deliciosas férias em Acapulco. 

Roberto Bolaños agora está entre gênios únicos como Charles Chaplin, Chico Anísio, Mussum, Zacarias, Lennon,...

* Artigo escrito por Saulo Roberto,
Publicitário

VEJA TAMBÉM

 

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Nome: E-mail:
Cód. de Segurança:

* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.